Movalyser and www.Movalyzer.com are the same software packages for handwriting movement analysis.

Motriz, Rio Claro, v.13, n.2 (Supl.1), p.S85-86, mai./ago. 2007

Gimenez, R; Lucena, A; Manoel, E - Aquisição de habilidades motoras gráficas em
indiv*duos normais e com problemas de coordenação


Instituição: Universidade Cidade de São Paulo/Unicid - Curso de Educação

Reconhecidamente crianças com dificuldades motoras têm sido alvo de preocupação por parte de pesquisadores de várias áreas. Na literatura são apontadas várias causas para as dificuldades desses indiv*duos. Dentre elas, é poss*vel destacar problemas de percepção visual, cinestésica, memória e também dificuldades para a formação de representação para os movimentos, o que supostamente aconteceria na memória. Essas representações são denominadas de programas de ação. As dificuldades para a formação de programas de ação podem representar um grande entrave ao processo de aquisição de habilidades motoras desses indiv*duos. Contudo, persistem dúvidas sobre os reais impactos dos programas de intervenção sobre essas populações. Mais especificamente, é poss*vel que isso ocorra pela própria falta de clareza sobre o processo de aquisição de habilidades desses indiv*duos. Por exemplo, ainda carecem investigação, problemas, tais como: Quando existe possibilidade de prática indiv*duos com dificuldades motoras são capazes de apresentar desempenho similar aos indiv*duos normais, ou as diferenças supostamente existentes entre eles são mantidas? Desse modo, o presente trabalho teve por objetivo investigar o processo de aquisição de habilidades motoras de crianças com dificuldades motoras. A premissa desse estudo é a de que o processo de aquisição de habilidades motoras depende da formação de um programa de ação organizado hierarquicamente em macro e micro-estrutura. Para tanto, 30 crianças com média de idade de 9,4 anos tomaram parte desse estudo. Essas crianças foram divididas em três grupos: GD (grupo de dificuldades motoras severas = 15 sujeitos); e GN (grupo controle formado por indiv*duos normais = 15 sujeitos). As crianças com dificuldades motoras foram detectadas e selecionadas para participar do estudo por meio do teste Movement ABC, que compreende habilidades manuais e com bola, tarefas de equil*brio dinâmico e estático. O experimento realizado teve o intuito de identificar e caracterizar os platôs de desempenho dos diferentes grupos a partir da prática. A tarefa consistiu em reproduzir a letra “y” cursiva por cem tentativas e foi realizada sobre uma mesa digitalizadora marca Aiptec 8000 u. Os dados captados foram analisados pelo programa MovAlyser, espec*fico para análise de dados de habilidades gráficas. Para caracterizar o processo de aquisição de habilidades foram utilizadas medidas como o número de erros de legibilidade, erro espacial linear, velocidade de execução, controle de força e de velocidade na escrita. Foram utilizadas também medidas que representassem de forma efetiva as caracter*sticas invariantes do programa de ação, tais como, número de fragmentos em que os sujeitos dividiram o padrão gráfico, variabilidade do número de fragmentos, tempo e tamanho relativo do primeiro fragmento da figura. Foi aplicada uma análise de variância para dados não paramétricos de Kruskal Wallis para a comparação dos grupos ao longo dos blocos de prática, com n*vel de significância de p<0,005. O teste de Komolgorov Smirnov foi empregado como post hoc para localizar as diferenças entre os grupos. Para verificar o comportamento da curva de aprendizagem dos grupos foi utilizado o teste para Correlação para dados ordinais de Spearman, com n*vel de significância de p<0,005. Genericamente, os resultados apontaram que, em comparação *s crianças normais, as crianças com dificuldades motoras severas apresentaram mais erros de legibilidade e menor consistência nas demais medidas de desempenho. Também houve tendência desse grupo apresentar maior variabilidade de medidas como a fragmentação, a variabilidade do número de fragmentos, o tempo e o tamanho relativo do primeiro fragmento. Essas constatações sugerem dificuldades na formação de programas de ação. Não houve mudança substancial no desempenho de nenhum dos grupos com a prática, o que contribui para sustentar a hipótese da manutenção das diferenças entre eles.

Apoio Trabalho: Pró-Reitoria de Ensino da Universidade Cidade de São Paulo/ Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação